Para além do grant

No artigo abaixo, a diretora de Pesquisa Científica do Serrapilheira, Cristina Caldas, reflete sobre o que representa ser grantee do instituto. Confira.

Encontro de grantees do Serrapilheira no Rio de Janeiro. Foto: Diego Padilha

 

Cristina Caldas

A 3ª Chamada Pública de Pesquisa do Serrapilheira vai contemplar até 24 cientistas com grants de R$ 100 mil. O financiamento de projetos é uma dimensão importante do nosso trabalho, mas acreditamos que tão necessário quanto oferecer recursos é conectar pesquisadores em uma rede de colaboração pautada pelos nossos valores: diversidade na ciência, ciência aberta e divulgação científica. Queremos torná-los amplificadores dessa mensagem.

Por isso, oferecemos aos nossos grantees encontros de integração, treinamentos, workshops e possibilidades de cooperações interdisciplinares. Quando um matemático encontra com um biólogo, um cientista da computação ou um geólogo, por exemplo, nascem ideias novas que normalmente não surgiriam. Esses espaços são muito raros na ciência, mas são essenciais para torná-la cada vez melhor.

Em encontros anteriores, promovemos treinamentos de liderança científica, visualização de dados e divulgação científica. No próximo, vamos oferecer um workshop de comunicação científica para aperfeiçoar as habilidades dos pesquisadores em produzir boas apresentações e papers. Propusemos essas formações a partir de demandas dos próprios grantees. Nossa meta é, assim, contribuir para o desenvolvimento de suas carreiras.

Acreditamos que ser grantee do instituto vai muito além do grant. Procuramos ser, sobretudo, um parceiro ativo na construção de um ambiente favorável à pesquisa de excelência. Por isso, convidamos os jovens cientistas com grandes perguntas fundamentais a se inscreverem na nossa 3ª Chamada, que está com inscrições abertas até 18 de dezembro, e fazerem parte da comunidade Serrapilheira.