15/07/2021 01:17

4ª chamada pública do Serrapilheira apoiará 12 jovens cientistas com até R$ 700 mil

  • Institucional

Selecionados em meio a 505 candidatos, pesquisadores receberão os recursos pelos próximos três anos

O Instituto Serrapilheira anuncia nesta quinta-feira, 15, os 12 jovens pesquisadores selecionados na 4ª chamada pública de apoio à ciência. Cada um receberá até R$ 700 mil para investir em seus projetos pelos próximos três anos. Eles também terão acesso a recursos adicionais, o chamado bônus da diversidade, para aplicar na formação e inclusão de pessoas de grupos sub-representados em suas equipes.

A seleção buscou projetos originais e ousados com grandes perguntas que contribuam para o conhecimento fundamental em ciências naturais, ciência da computação e matemática. Na primeira etapa, 505 pessoas enviaram uma pré-proposta. Dessas, 47 candidatos foram chamados a enviar suas propostas completas e em seguida foram entrevistados por revisores internacionais.

“Construímos um portfólio diverso de projetos que combinam excelência científica com diferentes graus de risco”, afirma a diretora de Ciência do Serrapilheira, Cristina Caldas. As pesquisas englobam temas como análise geométrica (matemática), sensoriamento remoto (ciência da computação), ecologia urbana (ciências da vida), cosmologia e informação quântica (física), mudanças climáticas (geociências), entre outros.

“Formar cientistas custa caro e leva tempo. Precisamos garantir que os talentos já formados, cuja excelência ficou evidente na seleção, tenham acesso contínuo a recursos, e que os setores público e privado pensem juntos em como oferecer melhores condições para se fazer ciência no Brasil”, completa Caldas. “Acreditamos que apoiar jovens pesquisadores no início de suas carreiras, com recursos de longo prazo e flexíveis, quando estão montando suas equipes e laboratórios, é um modelo que merece ser amplificado por outras organizações.”

 

Conheça os 12 cientistas selecionados e seus projetos:

Ciência da computação

Jefersson dos Santos, Universidade Federal de Minas Gerais

Vai investigar como fazer mapeamentos geográficos em larga escala por meio de aprendizagem supervisionada a partir de poucos pixels anotados.

Ciências da vida

Cristiane Calixto, Universidade de São Paulo

Estuda a resposta das plantas a mudanças de temperatura. No projeto, vai investigar como os mecanismos pós-transcricionais e epigenéticos contribuem para a memória da temperatura e respostas ao calor no caso do arroz.

Luiz Gustavo Gardinassi, Universidade Federal de Goiás

Pesquisa como a microbiota intestinal afeta a resistência à malária, procurando compreender possíveis mecanismos moleculares envolvidos.

Mychael Lourenço, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Estuda vias moleculares de estresse celular e seus impactos na função cerebral, como cognição e humor. Ele é um dos pesquisadores que identificaram que a irisina, hormônio que aumenta de nível no sangue após a prática de exercício físico e protege o cérebro contra a perda de memória na doença de Alzheimer.

Raul Costa Pereira, Universidade Estadual de Campinas

Busca entender como a diversidade humana e desigualdades sociais afetam a biodiversidade urbana.

Física

Bárbara Amaral, Universidade de São Paulo

Estuda como explorar sistemas quânticos para implementar protocolos de compromisso de bit, um ingrediente fundamental em diversas aplicações em criptografia.

Elisa Ferreira, Universidade de São Paulo

Pesquisa a matéria escura, um dos maiores mistérios da cosmologia, e faz parte do projeto do telescópio BINGO, uma colaboração internacional com liderança brasileira que visa estudar a evolução do universo. O BINGO promete trazer para o Brasil protagonismo e desenvolvimento científico e tecnológico em astronomia, pois faltam cientistas e recursos na área.

Thiago Fleury, IIF/Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Quer entender o mecanismo que está por trás da holografia, fenômeno presente em teorias de gravidade quântica, ainda uma questão em aberto na física.

Geociências

Vinícius Ribau Mendes, Universidade Federal de São Paulo

Vai investigar o que acontecerá com a precipitação da América do Sul se (ou quando) a circulação meridional do Atlântico entrar em colapso.

Matemática

Dirk Erhard, Universidade Federal da Bahia

Seu projeto é dedicado à compreensão dos fenômenos macroscópicos de modelos microscópicos de interação aleatória.

Rafael Montezuma, Universidade Federal do Ceará

Estuda novas perspectivas da teoria min-max para a area functional, expandindo no Brasil a área de estudos em análise geométrica. Esta teoria busca explorar métodos para controlar e classificar superfícies mínimas, que podem ser visualizadas fisicamente como as superfícies das películas de sabão, e invariantes geométricos naturalmente obtidos por meio de métodos variacionais, bem como suas interações com outros campos da geometria diferencial global e da relatividade geral.

Química

Daniel Grasseschi, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Vai manipular átomo a átomo em materiais bidimensionais, como peças em um tabuleiro de xadrez, para um melhor entendimento de como a química de coordenação pode ser explorada para controlar as propriedades eletrônicas, ópticas e químicas desses materiais.

 

Confira a lista de revisores que participaram da seleção:

Amy Zanne, George Washington University, Estados Unidos

Ana Domingos, University of Oxford, Inglaterra

Angela Sessitsch, Austrian Institute of Technology, Áustria

Artur Avila, University of Zurich, Suíça

Claudio Silva, New York University, Estados Unidos

Daniel Mucida, The Rockefeller University, Estados Unidos

Freddy Cachazo, Perimeter Institute, Canadá

Gareth Law, University of Helsinki, Finlândia

Guosong Chen, Fudan University, China

Hans Lambers, The University of Western Australia, Austrália

Ivan de Araújo, School of Medicine at Mount Sinai, Estados Unidos

Juliana Freire, New York University, Estados Unidos

Karen Hallberg, Centro Atómico Bariloche, Argentina

Lars Jansen, University of Oxford, Inglaterra

Luiz Oliveira, Universidade Federal do Paraná, Brasil

Marcelo Nóbrega, The University of Chicago, Estados Unidos

María J. Esteban, Ceremade – Université Paris Dauphine, França

Pedro Camargo, University of Helsinki, Finlândia

Ricardo Torres, Norwegian University of Science and Technology, Noruega

Roberto Weinberg, Monash University, Austrália

Sonia Esperanca, National Science Foundation (retired), Estados Unidos

Victor Arroyo-Rodriguez, Universidad Nacional Autónoma de México, México

Yehu Moran, Hebrew University of Jerusalem, Israel

  • Temas
  • 4ª chamada de apoio à ciência
  • apoio
  • resultado

Projetos e pesquisadores relacionados