João Paulo de Sá Felizardo

Ciências da Vida

A eutrofização é um processo que aumenta a disponibilidade de alguns nutrientes em ecossistemas aquáticos devido à infiltração da poluição. Dessa forma, o equilíbrio das teias alimentares em ambientes marinhos é rompido. Com o uso de isótopos estáveis para rastrear a transferência de componentes, o projeto do cientista João Paulo de Sá Felizardo pretende avaliar as mudanças na cadeia alimentar de vários ecossistemas marinhos. 

Graduado em ciências biológicas pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Felizardo seguiu para o mestrado em ecologia na Universidade Federal do Rio de Janeiro e o doutorado em biologia marinha e ambientes costeiros na Universidade Federal Fluminense. Ainda passou por um período de pós-doutorado no Instituto de Estudos do Mar Almirante Paulo Moreira.

O ecletismo e a vocação para a transdisciplinaridade naturalmente o conduziram para o caminho da ecologia. Suas expedições científicas abrangeram ecossistemas diversos, desde a Baía de Guanabara até a Antártica. Carioca e botafoguense, ele também gosta de samba e do heavy metal da banda Avenged Sevenfold. Nos momentos de lazer, entrega-se a jogos de interpretação em cenários de fantasia, como o Dungeons and Dragons, e dedica-se ao crossfit.

Projetos

O peixe que você come não é o peixe que você gostaria de comer
Ciências da Vida, Jornalismo

O projeto “O peixe que você come não é o peixe que você gostaria de comer” investiga como um século de poluição na Baía de Guanabara impactou a vida marinha e, consequentemente, os seres humanos que consomem esses peixes. O objetivo é avaliar a qualidade nutricional dos peixes comparada a de ambientes equilibrados, identificar toxinas presentes e as populações mais vulneráveis, além de entender as dificuldades na resolução desse problema histórico.

O projeto envolve jornalistas e cientistas marinhos, que produzirão um episódio do podcast Prato Cheio e materiais didáticos para a iniciativa Mesa Cheia. O foco será o trabalho do Laboratório de Radioecologia e Alterações Ambientais da UFF, que estuda os impactos da eutrofização nas teias alimentares na Baía de Guanabara e em Arraial do Cabo (RJ). O projeto também destacará como as práticas científicas e jornalísticas se complementam para compreender e comunicar os efeitos da poluição marinha.

Recursos investidos

Grant 2023: R$ 29.900,00
Quais os impactos da eutrofização nas teias alimentares marinhas?
Ciência / Ciências da Vida

A eutrofização ocorre devido à entrada de poluição doméstica, industrial e agrícola nos ecossistemas aquáticos, aumentando a disponibilidade de nutrientes, como nitrogênio e fósforo. Isso resulta no acúmulo de macroalgas e crescimento excessivo de fitoplâncton, afetando negativamente o metabolismo marinho e causando impactos significativo ecológicos e sócio-economicos. Este projeto busca entender como a eutrofização afeta a qualidade nutritiva dos organismos marinhos tropicais. Para alcançar esse objetivo, iremos analisar diferentes ecossistemas marinhos e costeiros afetados pela eutrofização. Utilizaremos isotópos estáveis, para rastrear a transferência de componentes essenciais, como o carbono e ácidos graxos ômega-3 e ômega-6, desde a base da cadeia alimentar até os peixes. Com isso, poderemos compreender as fontes desses componentes e as mudanças na qualidade nutricional ao longo da cadeia alimentar. Essa pesquisa contribuirá para o entendimento dos impactos da eutrofização nas teias alimentares marinhas e ajudará a melhorar a gestão dos ecossistemas tropicais.

Recursos investidos

Grant Serrapilheira 2023: R$ 100.000,00
Grant Faperj 2023: R$ 700.000,00

Instituições

  • Universidade Federal Fluminense

Chamadas

Chamada conjunta de apoio a pós-docs negros e indígenas em ecologia nº 1