Rodrigo Barros

Ciência da Computação

O cientista da computação Rodrigo Coelho Barros se graduou na Universidade Federal de Pelotas, cidade onde nasceu. O mestrado ocorreu na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, na mesma área. O doutorado foi no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação da Universidade de São Paulo, em ciência da computação e matemática computacional. O trabalho de Barros recebeu os prêmios da Sociedade Brasileira de Computação e da Capes pela melhor tese em ciência da computação do país. Sua investigação é uma exploração em profundidade dos modelos de inteligência artificial. 

Atualmente coordena o Núcleo de Pesquisa em Inteligência de Máquina e Robótica da PUCRS. A pesquisa científica incentivou o gosto pelas viagens e hoje Barros se orgulha de ter desbravado geleiras no Alasca e vulcões no Havaí. Ele ainda sonha em conhecer o deserto do Saara e as pirâmides egípcias. Crítico de cinema amador, o cientista também é um ávido leitor de fantasia. 

 

Projetos

IA para o bem-estar social: construção de redes neurais justas, explicáveis, resistentes a fatores de confusão e com supervisão limitada
Ciência / Ciência da Computação

Redes neurais são as principais responsáveis pela revolução recente da Inteligência Artificial. São mecanismos computacionais inspirados no funcionamento do cérebro humano, onde neurônios artificiais organizados de maneira hierárquica são capazes de aprender a partir de exemplos anotados pelos seres humanos. No meu grupo de pesquisa, buscamos resolver algumas das principais limitações  existentes nestes métodos. Queremos entender uma forma de construir redes neurais que sejam justas em suas decisões, ainda que os dados coletados do mundo real possam refletir injustiças, como disparidades raciais ou de gênero. Buscamos, também, por formas de conseguir explicar as decisões que são tomadas, uma vez que redes neurais são consideradas verdadeiras caixas-pretas. Finalmente, queremos descobrir como as redes podem aprender em cenários onde não existem muitos dados anotados pelo ser humano, o que é o caso da esmagadora maioria dos dados disponíveis hoje em dia.

Recursos investidos

R$ 100.000,00

Instituições

  • Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (RS)
  • Temas
  • dados
  • inteligência artificial
  • redes neurais