Fábio Mendonça Gomes

Ciências da Vida

O biólogo Fábio Mendonça Gomes passou cinco anos fora do país perseguindo mosquitos. Desenvolvida em parte no Instituto Nacional de Saúde, em Washington e na Universidade Johns Hopkins, em Baltimore, sua pesquisa tenta entender por que alguns mosquitos são infectados quando se alimentam de sangue, enquanto outros não. 

O carioca fez o mestrado e doutorado em biofísica no Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, mesma instituição onde cursou a graduação. O pós-doutorado incluiu período no Centro Nacional de Pesquisa Científica, na França. Gomes voltou ao Brasil depois de cinco anos para matar a saudade de ver o Flamengo entrar em campo. Fora dos laboratórios, ele persegue novos restaurantes, livros de história e ficção científica e partidas de futebol. 

Projetos

Efeito de malnutrição em vertebrados na competência vetorial de Aedes aegypti
Ciência / Ciências da Vida

O que comemos afeta a nossa saúde e pode influenciar se vamos ou não ficar doentes durante uma infecção. Da mesma forma, a saúde alimentar também é um importante fator da competência imune de outros animais. As fêmeas de mosquitos se alimentam de sangue para poder obterem as reservas nutricionais utilizadas para fazer ovos. Mas como a qualidade do sangue ingerida pelos mosquitos afeta a sua saúde? A medida que uma pandemia de má-nutrição, obesidade e diabetes se espalha, nós perguntamos se variações da composição do sangue causada por desbalanço dietético pode afetar a saúde dos mosquitos que ingerem esse sangue. Como a ingestão sanguínea também é o momento quando o mosquito pode entrar em contato com vírus e microrganismos que causam uma enorme diversidade de doenças em humanos, queremos também saber se essas mudanças na composição do sangue afeta a capacidade dos mosquitos de transmitir doenças.

Instituições

  • Universidade Federal do Rio de Janeiro