Nicolás Stríkis

Geociências

Nascido de um casal de cientistas, o geólogo Nicolás Stríkis desde cedo aprendeu a compartilhar o amor pelo conhecimento com os quatro irmãos. Originário de Americana, no interior de São Paulo, Nicolás se graduou em geologia na Universidade de São Paulo. Nessa mesma instituição alcançou o título de mestre em geologia e doutor em geoquímica. Atualmente ele é professor na Universidade Federal Fluminense. Nicolás tem um relacionamento estável com sua companheira desde os 18 anos, e ambos vivem com o cachorro Gauss e um papagaio.

Projetos

Projeto Inversão: Estamos caminhando para uma inversão do campo magnético da Terra?
Ciência / Geociências

Apesar de sua importância para a vida na Terra, a verdade é que ainda sabemos pouco sobre o funcionamento do campo magnético. A carência de um modelo físico que nos permita compreender os diversos fenômenos que observamos no campo magnético da Terra resulta das dificuldades em acessarmos o núcleo terrestre. Os estudos buscam reconstituir com detalhe o comportamento do campo em seu passado, algo desafiador com os métodos disponíveis. Para tanto, vamos lançar mão de uma abordagem bem inusitada. Um material pouco utilizado nestes estudos são as estalagmites, um tipo de rocha muito conhecida, desenvolvida no interior das cavernas. Informações sobre as variações de intensidade, declinação e inclinação do campo magnético podem ser investigadas por meio dos minerais magnéticos presentes nas estalagmites. Buscamos contar a história do campo magnético da Terra nos últimos 10 mil anos e ajudar a responder a seguinte questão: Estamos caminhando para uma inversão do campo magnético?

Recursos investidos

R$ 98.340,00

Instituições

  • Universidade Federal Fluminense
  • Temas
  • campo magnético
  • inversão
  • Terra