Rachel Herdy

Jornalismo

Projetos

Quando a justiça ignora a ciência
Divulgação científica / Jornalismo

A utilização de “ciência lixo” em práticas de investigação e julgamento pode levar não só à prisão e condenação de inocentes, mas também à impunidade dos verdadeiros criminosos. Além disso, um sistema de justiça criminal não baseado em evidências faz com que o estado desperdice recursos com procedimentos sem resultados práticos.  Partindo desta premissa, a série especial de reportagens aborda as causas e consequências do mau uso de conhecimentos científicos no sistema de justiça. A produção de conteúdo ficou a cargo de uma equipe multidisciplinar de investigadores (direito e ciências forenses). 

Projeto é coordenado pela professora e pesquisadora da Faculdade de Direito da Universidad Adolfo Ibáñez (Chile), Rachel Herdy, que desde 2012 desenvolve pesquisas e publica trabalhos sobre expertise, ciência e tribunais. 

Equipe:

As reportagens estarão a cargo de uma equipe multidisciplinar de investigadores (Direito e Ciências Forenses). Integram a equipe: a professora e pesquisadora do Departamento de Química da Universidade de São Paulo (Ribeirão Preto), com estudos na área de química forense, Aline Thaís Bruni; o perito criminal federal, com estudos sobre análise e interpretação de evidências, Paulo Akira Kunii; a professora de direito probatório e pesquisadora da Universidad Alberto Hurtado (Chile), além de influenciadora digital na área da prova penal, com estudos sobre reconhecimento pessoal, Janaina Matida; a professora de processo penal e pesquisadora da Universidade Federal de Juiz de Fora, com estudos sobre tribunal do júri, Marcella Mascarenhas Nardelli; o professor de psicologia do IMED, com estudos sobre vieses cognitivos, falsas memórias e reconhecimento pessoal, William Weber Cecconello; e o estagiário, mestrando do Programa de Pós-graduação em Direito da UFRJ, com dissertação sobre a fiabilidade das provas periciais, Michael Guedes.

Leia aqui.

Recursos investidos

Grant 2022: R$ 49.788,00