Projeto inédito busca fortalecer pesquisa em matemática no Ceará

Universidade Federal do Ceará, sede do Jangada Dinâmica. Foto: Ribamar Neto/UFC

Clarice Cudischevitch

Uma iniciativa inédita receberá um investimento de R$ 1,2 milhão do Instituto Serrapilheira para fortalecer a pesquisa em matemática no Ceará. Idealizado pelo matemático da Universidade Federal do Ceará (UFC) Yuri Lima, o “Jangada Dinâmica” vai integrar pesquisadores das áreas de sistemas dinâmicos e teoria ergódica que atuam na região e buscar uma maior diversidade nesse campo.

A importância de iniciativas que visem promover a matemática é evidenciada pelo baixo desempenho do país na área no que se refere à educação. Números da edição de 2018 do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa, na sigla em inglês), divulgados no início de dezembro, mostram que dois terços dos brasileiros sabem menos do que o básico em matemática. O Nordeste foi a região que obteve as menores médias.

Na pesquisa em matemática, no entanto, o cenário é outro: o Brasil é uma referência internacional, e o Ceará é um estado que vem se destacando cada vez mais. O programa de pós-graduação em matemática da UFC tem conceito 7 da Capes, a nota máxima atribuída pela agência. Nesta disciplina, é a única instituição das regiões Norte e Nordeste nesse patamar.

O estado tem, ainda, uma das Olimpíadas de Matemática mais antigas do país – em 2020, acontecerá a 40ª edição da OCM (a Olimpíada Cearense de Matemática). A própria OBMEP (Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas, a principal do país) foi inspirada no Projeto Numeratizar, que desenvolvia estratégias para melhorar a qualidade do ensino da disciplina na Educação Básica e foi criado no Departamento de Matemática da UFC.

Com duração de cinco anos, o “Jangada Dinâmica” prevê quatro escolas de verão de estudos avançados; a contratação de sete pós-doutorandos baseados na UFC e requisitados a visitarem outras instituições no Nordeste; a organização da VI Escola Brasileira de Sistemas Dinâmicos, em 2021, em Fortaleza, e workshops bienais. A ideia é que a UFC atue como um hub entre o número expressivo de recém-formados no Nordeste e pesquisadores internacionais de renome.

“O projeto é ambicioso e aposta no potencial imenso do Ceará”, afirma o diretor-presidente do Serrapilheira, Hugo Aguilaniu. “A iniciativa foi muito bem avaliada por matemáticos de destaque, então acreditamos no seu poder de transformação e na sua capacidade de promover significativamente a matemática cearense e gerar desdobramentos na região Nordeste.”

Para buscar um aumento da diversidade na matemática, uma área tradicionalmente dominada por homens e pessoas brancas, 30% de todas as atividades serão destinadas à participação de grupos sub-representados na ciência. Entre 2011 e 2015, por exemplo, as mulheres representavam apenas 25,8% dos pesquisadores em matemática, segundo relatório da Elsevier.

“A realização desse projeto no Nordeste é uma forma de localizarmos e engajarmos os talentos da região”, destaca a diretora de Pesquisa Científica do Serrapilheira, Cristina Caldas. “A ideia é que esses jovens possam se formar, até mesmo construir uma carreira no exterior e, depois, voltar e contribuir para o desenvolvimento científico local.”

Retrato de Yuri Gomes Lima
O matemático Yuri Lima

“Essa é uma oportunidade nova para a região Nordeste”, afirma Yuri Lima. “A iniciativa é um ‘win-win game’, em que todos se beneficiam. Acreditamos que o projeto contribuirá para a valorização daquilo que, segundo diversos especialistas, é a melhor maneira de diminuir as desigualdades sociais do país: educação e ciência.”

O Jangada Dinâmica já está a pleno vapor. A chamada para a primeira bolsa de pós-doutorado está aberta, com inscrições até 31 de dezembro. O workshop “2ª Jangada Dinâmica” também já tem data marcada: 3 a 7 de agosto de 2020, na UFC. Confira mais informações na homepage do pesquisador e no instagram do projeto (@jangadadinamica).