Nenhum saber para trás

Divulgação científica / Diversidade na ciência

O levantamento do Observatório da Branquitude realizado em maio de 2022, apontou que entre os 302 reitores/as de instituições de ensino superior públicas do Brasil, 294 têm reitores/as brancos/as, o que demonstra uma sobrerrepresentação do grupo racial que representa 43% da população. O argumento central deste projeto parte da seguinte indagação: quais epistemologias construirão a ciência do Brasil no amanhã? A epistemologia é, como propõe Grada Kilomba, a ciência da aquisição de conhecimentos, portanto o projeto questiona os perigos da ciência branca e colonial, pretendida como universal e propõe, através do encontro de saberes, que a produção de conhecimento necessária para que a ciência seja motor de transformações sociais positivas no Brasil, passe necessariamente por epistemologias diversas e que isso deve ser refletido desde o fomento à ciência até à burocracia científica no Brasil. O projeto será publicado em um ou mais vídeos nos quais Sueli Carneiro discute noções como o epistemicídio.

Recursos investidos

Grant 2022: R$ 50.000,00
  • Temas
  • documentário
  • epistemicídio
  • raça