O mar que habita em mim: ecossistemas conectados para fortalecer a cultura oceânica no Brasil

Jornalismo

O Brasil é amplamente conhecido como um dos países mais biodiversos do planeta. Entretanto, boa parte desse foco está sobre os ecossistemas terrestres, embora o país detenha um território marinho de 3,6 milhões de km2. No Brasil, o desconhecimento sobre o ecossistema marinho fica ainda mais evidente ao se considerar que a educação sobre o oceano em escolas e a pesquisa oceânica em universidades fora da zona costeira é bastante limitada, e muitas vezes desestimulada, pela falta de compreensão sobre a influência que exercemos sobre o mar e o mar sobre nós. Com foco na conectividade, baseamos nossa proposta na criação de dois produtos, sendo (i) um relatório multidisciplinar visando responder a três perguntas fundamentais: (1) Quais as principais ameaças à biodiversidade marinha no Brasil hoje? (2) De que forma uma melhor compreensão sobre a influência do oceano na vida, saúde e bem estar do brasileiro pode contribuir para a preservação da biodiversidade marinha no Brasil? (3) De quais formas o oceano impacta e é impactado pela vida do brasileiro habitante do interior do país? Além dos problemas, o documento irá, também, apontar soluções. O segundo produto será (ii) uma ilustração baseada em ciência e dados na qual iremos narrar a trajetória de uma tampa de garrafa PET jogada em um rio no interior do Nordeste até sua chegada ao mar, indicando diferentes possibilidades de impactos ao longo da trajetória e, também, em seu destino, onde o efeito cumulativo de ações humanas resultam em múltiplas ameaças. A ilustração será apresentada em uma reportagem interativa a ser publicada pela Ambiental Media – este infográfico sobre Agroflorestas é uma referência.

Recursos investidos

Grant 2023: R$30.000,00